DECEMBER 9, 2022

“NATAL SEM FOME” – Você pode ser “Papai Noel” para uma família carente

A campanha surgiu por iniciativa do saudoso sociólogo norte-mineiro Herbert de Souza, o Betinho, e tem como fundamento ajudar famílias que estejam passando por necessidades diversas.

Foto: Divulgação

A classe artística montes-clarense declarou seu apoio à Campanha Resgate da Alegria “Natal sem Fome”. Realizada há 30 anos ininterruptos na cidade, a campanha é coordenada pelo Grupo de Literatura e Teatro “Transa Poética”, em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura e a Unimontes. Seu objetivo, esse ano, é arrecadar alimentos não perecíveis, brinquedos e material escolar para famílias carentes da Vila Castelo Branco, São Geraldo e Vila São Francisco.

Os postos de coleta estão localizados no hall do Centro Cultural Hermes de Paula e na Biblioteca Pública Dr. Antônio Teixeira de Carvalho, ambos localizados no mesmo prédio, na Praça da Matriz.

O encerramento da campanha acontece no dia 22 de dezembro. Nessa mesma data, no auditório Cândido Canela do Centro Cultural Hermes de Paula, às 20 horas, acontecerá o espetáculo de encerramento da campanha, com a participação dos artistas: Grupo de Literatura Transa Poética, Élcio Lucas, Marina Couto, André Águia, Albano Silveira, Sivaldo Souza, Boca Vasconcellos, Sandrinho, Maluh Mendes, Samuel Pereira, Alexandre Zuba, Márcio Moraes, Luna Escola Corpo, Marcinho da Gaita, Suwaco de Cobra, Marlena Porto Bandeira, Karla Celene, Bob Marcílio, Anelito de Oliveira, Doris Araújo, Renilson Durães, Josecé Santos, Amora Pereira, Sivaldo Ribeiro Santos, Wagner Rocha, Tony David, Albino José dos Santos, Giovane Sassá, Renilson Durães, Mirna Mendes, Débora Gueddes, Victor Hugo Manga, Felipe Dias, Herbert Lincoln, Aroldo Pereira. Para assistir ao espetáculo, basta doar um quilo de alimento e/ou brinquedos e/ou material escolar e/ou livros.

A campanha surgiu por iniciativa do saudoso sociólogo norte-mineiro Herbert de Souza, o Betinho, e tem como fundamento ajudar famílias que estejam passando por necessidades diversas, inclusive a pior delas, que é não ter o que comer. A classe cultural montes-clarense reforça que esse é um momento de reflexão, uma oportunidade para que todos possamos pensar mais no outro, nos colocando no lugar de quem mais precisa.

Compartilhe: