DECEMBER 9, 2022

FATOS & DETALHES

Pecê Almeida Júnior é jornalista e publicitário

DENÚNCIA CONTRA DEPUTADO

O Ministério Público de Minas Gerais encaminhou à Procuradoria-Geral da República documento para que se avalie a possibilidade de abertura de processo contra o deputado federal de extrema-direita Cabo Júnio Amaral (PL) por suposta violação de liberdade de cátedra de uma professora da rede estadual de Montes Claros. O motivo é a divulgação pelo deputado de um áudio gravado, sem autorização, durante uma aula da professora. Júnio Amaral a acusou de “doutrinação ideológica”, incitando pais de alunos a pressionarem a direção da escola em que ela trabalha por “providências”. Após isso, a professora teve que se afastar do trabalho, em função das perseguições que passou a receber, seja pelas redes sociais, seja pessoalmente.

RIACHINHO

Prefeito e vice de Riachinho, na divisa das regiões Norte e Noroeste de Minas, estão sendo acusados pelo Ministério Público de corrupção em contrato de locação de veículos. Neizon Rezende (PODEMOS) e José Adelon foram denunciados por suposta fraude em licitação para favorecer uma empresa que seria administrada pelo vice-prefeito e seu irmão, mas estaria em nome de laranja. Se a moda pega…

PACHECO CANDIDATO

O tour do presidente Lula por Contagem, Juiz de Fora e Belo Horizonte na semana passada deixou claro que, pelo menos por enquanto, seu candidato ao Governo de Minas é o senador Rodrigo Pacheco (PSD). Lula levou Pacheco a tiracolo em todos os eventos e o senador fez questão de fazer discursos em um tom mais político, sempre alinhados ao presidente. Essa postura deverá ficar ainda mais explícita após Pacheco conseguir a eleição de Davi Alcolumbre (UNIÃO BRASIL) para a Presidência do Senado no início de 2025. Até lá, Pacheco ainda vai se equilibrar para não perder o apoio de parlamentares mais conservadores ao seu candidato ao comando do Congresso.

DISCURSO DE PAULO

Em entrevista a este jornalista na última edição da REVISTA TEMPO, o deputado federal e pré-candidato a prefeito Paulo Guedes (PT) atribuiu ao período em que ele foi secretário de Estado durante o governo de Fernando Pimentel duas importantes realizações associadas à gestão de Humberto Souto na Prefeitura de Montes Claros. A primeira é a renovação do contrato do município com a Copasa, que injetou R$ 80 milhões nos cofres da Prefeitura para fazer asfalto, além de perdoar uma dívida em torno de R$ 70 milhões. Ele também mencionou a adutora que trouxe água do Rio Pacuí, acabando com o racionamento que havia em Montes Claros até então. Foi por causa dessa adutora pronta que foi possível viabilizar a captação no Rio São Francisco. “Eu estava inclusive na foto das assinaturas”, reforçou o parlamentar.

DISPUTA DOS VICES

A cada momento surge um novo candidato a candidato a vice na chapa de Guilherme Guimarães (UNIÃO BRASIL). Por enquanto, os nomes são esses, não perca a conta: Otávio Rocha (PP), ex-procurador-geral do Município, nome que já foi pule de dez, mas hoje a concorrência está maior; Osmane Barbosa (REPUBLICANOS), ex-secretário municipal de Agricultura e ex-presidente da Sociedade Rural; pelo PSD de Gil Pereira tem três possíveis nomes: o ex-vice-prefeito e presidente regional da FIEMG, Adauto Marques, que conseguiu na Justiça cancelar sua transferência para o PSDB, o ex-chefe de Gabinete, ex-vereador e um dos mais próximos auxiliares de Humberto Souto, José Gonzaga, além do ex-prefeito de Patis e ex-secretário municipal de Serviços Urbanos, Vinícius Versiani.

DISPUTA DOS VICES II

O PSD ainda conta com a também ex-vice-prefeita Cristina Pereira, esposa de Gil, como carta na manga. Nos últimos dias, começou a circular com força o nome do vereador Claudim da Prefeitura (CIDADANIA), que representaria a entrada na chapa de um nome popular, testado nas urnas, com boa penetração na periferia de Montes Claros. Correm por fora o ex-subsecretário estadual de Agricultura, Ricardo Demichelli (NOVO), que representaria, ao mesmo tempo, o governador Romeu Zema e seu ex-partido, o SOLIDARIEDADE, e o fazendeiro Sandro Fusca, para o caso de uma composição com o PL, já que não há clima, nesse caso, para o vice ser o atual pré-candidato do partido, Maurício Sérgio, que faz aberta campanha de oposição ao prefeito Humberto Souto nas redes sociais.

Compartilhe:


Notícias Relacionadas

Montes Claros Política

FATOS & DETALHES