DECEMBER 9, 2022

Pai é preso suspeito de estuprar a própria filha em UTI de hospital em São Paulo

A adolescente foi hospitalizada após sofrer uma parada cardiorrespiratória em decorrência de uma crise de asma

Foto: Reprodução/TV Globo

A Polícia Civil prendeu um homem de 59 anos suspeito de estuprar a própria filha no leito de um hospital em São Bernardo do Campo, no ABC paulista. A adolescente foi hospitalizada após sofrer uma parada cardiorrespiratória em decorrência de uma crise de asma e as complicações de saúde se agravaram depois de faltar oxigenação em parte do cérebro. Uma pneumonia a levou para a UTI, onde o abuso teria acontecido, segundo a Polícia Civil. O crime teria ocorrido em maio e o homem foi detido no dia 14.

Uma equipe da unidade médica em que a adolescente estava internada gravou as cenas e denunciou o homem para a polícia. Os funcionários suspeitaram das alterações físicas que a menina apresentava quando o pai se aproximava.

“Ele manipulava a menina, sugerindo carícias. Laudo de exame de corpo de delito constatou lesões no órgão genital proveniente de atos libidinosos, como vermelhidão e marcas de unha”, disse a delegada seccional de São Bernardo do Campo, Kelly Cristina Sacchetto.

“Há mais de 10 anos trabalhando no combate à exploração e abuso sexual infantil, eu e minha equipe ficamos chocados com as nuances deste caso. O abuso praticado pelo genitor, na UTI de um hospital, com a vítima em completa vulnerabilidade por seu estado clínico, nos deixou estarrecidos”, acrescentou Sacchetto.

Conforme a delegada, assim que souberam do fato, policiais identificaram o autor. Menos de 12 horas depois, o homem foi preso através de um pedido de prisão temporária, convertida em preventiva posteriormente.

Ainda de acordo com a delegada, policiais civis montaram uma campana para prender o homem. Ele estava no interior de um veículo quando foi abordado. A investigação acontece sob segredo de Justiça por envolver uma adolescente.

O advogado Daniel Wallace, defensor do homem preso, disse que ele nega “veementemente a acusação”. “As gravações que foram realizadas clandestinamente, sem autorização judicial, não confirmam, com exatidão, a prática do crime, razão pela qual deve ser respeitado o direito constitucional do acusado de ser considerado inocente até que se prove o contrário”, diz a nota.

“Qualquer opinião condenatória é muito precoce, pois o processo ainda se encontra em fase de produção probatória, aguardando a realização de audiência de instrução, debates e julgamento. Estamos plenamente confiantes de que a verdade virá à tona durante o curso do processo judicial”, acrescentou.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) disse que o caso foi registrado como estupro de vulnerável e cumprimento de mandado de busca e apreensão. Conforme a pasta, o computador do suspeito foi apreendido.

(Folhapress)

Compartilhe: