DECEMBER 9, 2022

Desabamento de Revestimento Leva à Evacuação de Prédio em Montes Claros

Cerca de 50 pessoas estavam dentro do prédio no momento do incidente, representando aproximadamente 90% dos habitantes do edifício

Foto Larissa Durães

Na tarde de ontem, segunda (8), por volta das 13 horas, o Corpo de Bombeiros de Montes Claros, foi acionado para responder a um incidente de desabamento de revestimento em um prédio localizado na região do bairro São Luiz. Após a chegada das equipes de emergência, foi constatado um deslocamento no pilar de sustentação, resultando na evacuação imediata do edifício e do entorno, onde quatro quarteirões foram evacuados, visando garantir a segurança de todos os envolvidos.

Autoridades da Defesa Civil do município e representantes da empresa responsável pela construção do prédio prontamente compareceram ao local para coordenar os esforços e determinar os próximos passos. “Após uma reunião, foi decidido que a medida mais apropriada seria a instalação de escoras para estabilizar a estrutura até a chegada do engenheiro calculista, que irá orientar as futuras ações”, informou o Coronel Toffoli do 7º Batalhão de Bombeiros Militar de Montes Claros (7ºBBM).

“Atualmente, o processo de escoramento está em andamento, focando nos cinco pavimentos a partir do subsolo. Novas avaliações serão conduzidas pela equipe de engenharia para definir os próximos passos após a conclusão desta etapa crucial”, disse o coronel.

Enquanto isso, o prédio permanece totalmente evacuado, sem previsão para o fim da interdição. E de acordo com o bombeiro, os esforços estão concentrados em aliviar o peso na estrutura para garantir a segurança durante o processo de escoramento. Os moradores, por sua vez, preocupados com a situação, estão sendo orientados a ter paciência enquanto aguardam a liberação para recuperar seus pertences e documentos pessoais.

Quanto ao futuro do edifício, a equipe de engenharia expressou otimismo, indicando que, uma vez completado o escoramento e os reparos necessários, é provável que a estrutura seja recuperada, permitindo o retorno dos moradores à vizinhança. “No entanto, a decisão final dependerá das avaliações técnicas após a conclusão dos trabalhos de estabilização”, relatou o coronel Toffoli.

Moradora descreve momentos de pânico durante a evacuação do prédio

Segundo os relatos, da moradora do edifício Roma, Rosany Araújo, o desabamento ocorreu por volta de uma hora da tarde, com um estrondo semelhante ao de um tremor de terra, que alertou os moradores para a iminente tragédia. “O pilar de sustentação cedeu, desencadeando um tumulto generalizado, com as pessoas evacuando o prédio às pressas, muitas delas sem sequer tempo para se vestir adequadamente”, contou angustiada.

“Entre os evacuados estavam crianças, algumas delas descalças e vestindo apenas roupas íntimas, agarrando aos seus animais de estimação em meio ao caos”, disse a moradora. Segundo ela estima que cerca de 50 pessoas estavam dentro do prédio no momento do incidente, representando aproximadamente 90% dos habitantes do edifício.

O prédio, com 18 andares e cobertura, abrigava cerca de 30 apartamentos, dos quais a maioria era alugada. “Apesar de ser relativamente novo, com pouco mais de dois anos de idade, já havia suspeitas sobre a qualidade de sua estrutura, o que levou a discussões com a construtora sobre possíveis soluções para os problemas apresentado”, relata Rosany.

Diante da incerteza sobre o futuro, os moradores estão preocupados com a recuperação de seus pertences e documentos pessoais, além de temerem o retorno ao prédio danificado. Até o momento, não há decisões definitivas sobre o acesso dos moradores ao edifício para a recuperação de seus pertences, e a situação permanece fluida.

Enquanto as autoridades tentam encontrar respostas para o que causou o desabamento, os moradores destacam que já haviam feito reclamações sobre a estrutura do prédio anteriormente, embora as causas exatas do incidente ainda não estejam claras.

No momento, os moradores estão hospedados em hotéis, tentando lidar com o trauma do ocorrido e aguardando por notícias sobre o destino de seu lar e pertences. A tragédia em Montes Claros ressalta a importância da segurança estrutural dos edifícios e levanta questões sobre a responsabilidade das construtoras na garantia da integridade das construções.

 

 

*Novas informações serão acrescentas aqui

Compartilhe: