DECEMBER 9, 2022

Programação especial reforça inclusão de crianças com autismo

De acordo com a secretária, atualmente são 861 crianças autistas entre os 1846 estudantes com deficiência matriculados no Sistema Municipal de Ensino de Montes Claros

Foto: Jerusia Arruda

Nesta terça-feira, 2, é comemorado o Dia Mundial da Conscientização do Autismo. A data foi criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) no ano de 2007 com o objetivo de levar informação à população para reduzir a discriminação e o preconceito contra os indivíduos que apresentam o Transtorno do Espectro Autista (TEA).

Para celebrar a data, a Prefeitura de Montes Claros, por meio da Secretaria Municipal de Educação (SME), preparou uma programação especial que será realizada durante todo o mês de abril, com o objetivo de reforçar a garantia aos diretos das crianças com TEA. A programação será realizada em todas as unidades escolares municipais e inclui oficinas, palestras, rodas de conversa, exposição de trabalhos realizados pelos alunos e sessão de cinema com vídeos alusivos ao tema.

A secretária municipal de Educação, professora Rejane Veloso Rodrigues, explica que as crianças com autismo enfrentam desafios relacionados a habilidades sociais, comportamentos repetitivos, fala e comunicação não-verbal, e os cuidados adequados podem auxiliar a melhorar sua relação com o mundo. “Indivíduos com TEA têm aptidões e talentos específicos em determinadas áreas do conhecimento. Muitos podem, por exemplo, concentrar-se fortemente em apenas uma coisa. E muitas vezes as pessoas não compreendem. Então, teremos um mês dedicado à conscientização e à informação da comunidade escolar a fim de quebrar tabus e eliminar preconceitos”, destaca.

De acordo com a secretária, atualmente são 861 crianças autistas entre os 1846 estudantes com deficiência matriculados no Sistema Municipal de Ensino de Montes Claros. “É um público muito especial e demanda um trabalho educativo organizado e adaptado para atender as suas necessidades”, observa a secretária.

Para atender a esse público específico, Rejane Veloso explica que o Município se estruturou e, hoje, oferta serviços especializados para garantir a acessibilidade e a inclusão nas unidades escolares. “O Sistema Municipal de Ensino conta com cerca de 1000 Auxiliares de Docência, além de Psicopedagogos, Psicólogos, Assistentes Sociais, Tradutores e Intérpretes de Libras, Supervisores Educacionais e Professores que atuam com atendimento educacional especializado para assistir os alunos com necessidades educacionais específicas.

Os serviços da Psicologia e Assistência Social que atuam em cada unidade de ensino realizam acompanhamento no processo educacional, orientação e acolhimento aos alunos e seus familiares, atuando de forma multidisciplinar com a Rede Intersetorial. Segundo a secretária, os espaços físicos das escolas também estão sendo adaptados para receber os alunos. “As unidades escolares estão sendo reformadas e recebendo salas equipadas com recursos multifuncionais, garantindo o acesso do aluno a informações que o ajudem a construir seu conhecimento de forma eficiente. Já os novos prédios estão sendo construídos com todos os recursos e equipamentos necessários para oferecer uma educação de qualidade e acolher a todos os alunos da maneira adequada”, completa.

Além da equipe que atua nas escolas, a SME conta com uma Coordenadoria de  Educação Inclusiva formada por equipe multidisciplinar. De acordo com a coordenadora Meirielle Duarte Pereira, o trabalho do setor se baseia no princípio da individualização do atendimento, buscando atender as necessidades específicas de cada estudante com deficiência.

A coordenadora destaca que quando se fala sobre inclusão da criança com autismo na escola de ensino regular, deve-se pensar também no professor, para que ele esteja preparado para receber os alunos. “O professor é um mediador no processo inclusivo. É ele quem promove o contato inicial da criança com a sala de aula e é o responsável por incluí-la nas atividades com toda a turma”, observa.

Para garantir que o profissional esteja preparado para realizar esse acolhimento, a Secretaria Municipal de Educação mantém um programa de formação permanente. “Não só para os professores, mas para todos os profissionais da escola, para orientar e acompanhar esse processo, buscando garantir, assim, o desenvolvimento da autonomia, da criatividade e da comunicação dos estudantes autistas”, completa.

A Educação Inclusiva também atua como mobilizadora do Selo Unicef 2020/2024, com atividades e campanhas nas escolas, em cumprimento ao Plano Municipal da Primeira Infância e à Lei da Escuta Especializada (Lei nº 13.431, de 4 de abril de 2017), em parceria com a Rede de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher (REVICOM), com reuniões semanais para atuação na Rede Intersetorial, que integra os Centros de Referência de Assistência Social – CRAS, Centros de Referência de Atendimento Especializado de Assistência Social – CREAS e Conselhos Tutelares.

Além disso, o setor conta com uma Psicopedagoga, membro da Junta de Regulação do Serviço de Reabilitação em Deficiência Intelectual e Autismo (SERDI), que faz a interlocução, com encaminhamento e acompanhamento do fluxo. “Mesmo com todos os serviços ofertados nas unidades de ensino, as famílias têm acesso a atendimento personalizado na Coordenadoria de Educação Inclusiva, caso haja algum desconforto com o atendimento da unidade de ensino”, finaliza a coordenadora.

Compartilhe:

Notícias Relacionadas

Geral Montes Claros

Vem aí as tradicionais Barraquinhas da Fundação Sara

Esporte Montes Claros

Abertura Campeonato Rural de Montes Claros