DECEMBER 9, 2022

cineclube CineMaracas apresenta: O humor de Oscarito e Grande Otelo

O cineclube CineMaracas acontece aos sábados a partir das 18horas na sede da Associação dos Moradores do Bairro Maracanã, situada na Praça Beato Francisco Coll.

15974587885f374964d347a_1597458788_3x2_md

Foto: Divulgação

O cineclube CineMaracas encerra o ano de 2023 com a mostra “O humor de Oscarito e Grande Otelo”, uma homenagem a esses dois grandes nomes da comédia brasileira de todos os tempos. A mostra terá apenas duas sessões, nos dias 02 e 16 de dezembro.

Sebastião Bernardes de Souza Prata, o Grande Otelo (1915-1993) era mineiro de Uberlândia. Ator, cantor, produtor e compositor, atuou em comédias, dramas e crítica social, tanto no cinema quanto no teatro. Dono de um talento extraordinário é reconhecido como um dos maiores atores brasileiros do século 20. Hoje, seria chamado de multimídia, atuou em rádio, teatro, cinema e televisão.

Oscar Lorenzo Jacinto de La Immaculada Concepcion Teresa Diaz ou, Oscarito (1906-1970), nasceu em Málaga na Espanha, fazia acrobacias e veio com um circo junto com seus pais para o Brasil. Trabalhou em rádio, teatro, televisão e cinema, e ainda gravou músicas de carnaval. É outro grande nome da comédia brasileira.

Chanchada

A Chanchada foi um gênero cinematográfico que se popularizou no Brasil, principalmente entre as décadas de 1940 e 1950. Seu início é impreciso, ela começa a ser estudada somente depois de perder espaço para o Cinema Novo, na década de 1960. Mas as Chanchadas lotavam os cinemas no país inteiro por misturar muita música, principalmente de carnaval, danças, humor com forte apelo popular e interpretações de humoristas, homens e mulheres, vindos do circo e do teatro, numa época em que a televisão sequer existia. A primeira emissora de tv brasileira, a Tupi, só seria inaugurada em 1950. Muitas vezes as chanchadas satirizavam os grandes sucessos hollywoodianos, zombando dos estereótipos criados pelo cinema norte-americano, como é o caso de “Matar ou correr”, dirigido por Carlos Manga.

Os personagens das chanchadas em geral estavam desempregados ou no subemprego. As chanchadas acabaram por retratar o modo de vida de uma parcela da população brasileira, excluída do modelo de industrialização que já se começava a implantar no país.

O cineclube CineMaracas acontece aos sábados a partir das 18horas na sede da Associação dos Moradores do Bairro Maracanã, situada na Praça Beato Francisco Coll, 107, e a entrada é gratuita. Após a sessão tem bate papo com a plateia sobre o filme exibido.

Programação

Dia: 02/12

“Carnaval Atlântida” (1952) –

Direção: Carlos Manga/José Carlos Burle – 1hora e 35minutos.

Sinopse: Dois típicos malandros cariocas se apresentam para um importante produtor cinematográfico com duas propostas de roteiros. O produtor recusa, mas contrata os dois como faxineiros. Um professor de mitologia grega vai ser o responsável pela assessoria do novo filme que conta a história de Helena de Tróia. Depois de muita confusão, o filme vira uma comédia carnavalesca.

Dia: 16/12

“Matar ou correr” (1954) –

Direção: Carlos Manga – 1hora e 27minutos.

Sinopse: No velho oeste, a cidade de City Down recebe a visita de dois vigaristas, Cisco Kada e Kid Bolha. Depois de algumas trapalhadas, um deles acaba se tornando xerife do local. As locações foram em Jacarepaguá (RJ), e o filme é uma brincadeira com o ideal dos cowboys dos filmes norte-americanos.

 

Contato: Márcia Braga – Zap: 38 99935-1297

 

Compartilhe:

Notícias Relacionadas

Montes Claros Polícia

Tiroteio em Montes Claros deixa um morto e um ferido

Empreendedorismo Montes Claros

Câmara da Mulher realiza primeiro Café Conexão para empreendedoras