Home / Bloco 1  / Estágio: número de estudantes inseridos no mercado aumentou 30% no primeiro semestre de 2023

Estágio: número de estudantes inseridos no mercado aumentou 30% no primeiro semestre de 2023

Segundo levantamento do IEL, as áreas que mais contratam estagiários no Brasil são Administração, Direito e Ciências Contábeis.

Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

O número de estudantes inseridos no mercado de trabalho por meio de estágios aumentou 30% no primeiro semestre de 2023. Os dados são do Instituto Euvaldo Lodi (IEL), uma das principais entidades do mercado de trabalho, responsável pela ponte entre as instituições de ensino e a indústria para a inserção de jovens em vagas de estágio.

Nos primeiros seis meses deste ano, o IEL inseriu mais de 43 mil estudantes em empresas por todo o país, um aumento de 30% em comparação com o mesmo período de 2022.

A gerente executiva de Negócios do IEL, Patrícia Fernandes, destaca a relevância dessa experiência para o estudante.

“A importância do estudante fazer um estágio antes de terminar o curso é a possibilidade que ele tem de ingressar no mercado de trabalho sem a exigência da experiência profissional. A empresa vai desenvolvendo esse estudante em competências técnicas, em competências comportamentais e vai preparando para futuras oportunidades dentro da organização.”

O especialista em gestão de pessoas Pedro Vitali ressalta que o estágio é uma etapa crucial na vida do estudante.

“[O estágio] ele serve como uma espécie de ponte, ligando o que a gente aprende no ambiente acadêmico ao mundo profissional real. É a chance de colocar em prática todos aqueles conceitos e teorias que a gente vê na sala de aula. O estágio ele pode ser a porta de entrada para construir uma rede de contatos. Então é a oportunidade de conhecermos pessoas, fazermos conexões e isso pode até mesmo virar uma oferta de emprego, quando a gente se forma.”

Vitali também comenta o benefício para a empresa que contrata estagiários.

“O estágio é uma forma muito eficiente das empresas treinarem os seus potenciais futuros colaboradores. A gente pode enxergar isso como uma forma de economizar tempo, economizar recursos, e tende a ser muito mais assertivo na hora de escolher o profissional que vai ocupar uma cadeira, qualquer que seja.”

Áreas de atuação

Segundo levantamento do IEL, as áreas que mais contratam estagiários no Brasil são Administração, Direito e Ciências Contábeis. Segundo Pedro Vitali, as empresas têm muita demanda por serviços na área de Administração.

“As empresas, independente do tamanho, têm uma demanda constante por gestão eficiente. E os estagiários dessas áreas têm uma versatilidade muito grande e podem trabalhar desde recursos humanos até logística para poder ajudar a organizar e a otimizar processos internos.”

Ele também destaca o papel dos estagiários na área de Direito. “Os escritórios de advocacia, os departamentos jurídicos de grandes empresas frequentemente contratam estagiários dessa área, porque eles têm oportunidade de auxiliar na análise de processos, de elaborar uma grande quantidade de documentos e em pesquisas de jurisprudência. Então essa é uma relação benéfica para todos os lados, onde os escritórios recebem o suporte nas suas demandas e os estudantes conseguem, por meio desse suporte, ganhar a experiência e a vivência que precisam para ter excelência na área de atuação”.

Outro destaque, segundo o especialista em gestão de pessoas, é a área de Marketing e Comunicação.

“A gente tem também o universo do Marketing e da Comunicação, onde o dinamismo é uma constante. Os jovens estagiários dessas áreas podem trazer novas ideias, novas perspectivas, renovar o ares e atuar em atividades de gestão de redes sociais, criação de conteúdo, que tem sempre muita coisa nova.”

Lorena Rodrigues, de 20 anos, está cursando o sexto período de Comunicação. Para ela, o estágio é uma oportunidade de colocar em prática o que aprende em sala de aula.

“Eu acredito que o estágio, além de você adquirir experiência do curso em si,  colocar em prática os conhecimentos do curso, é importante também para adquirir o conhecimento de mercado de trabalho mesmo. É estar inserido ali em um grupo, estar inserido no ambiente profissional. É muito bom porque é além dos conhecimentos acadêmicos. Eu acredito que é um conhecimento de mercado profissional mesmo.”

Além da experiência profissional, Lorena conta que passou a ganhar o próprio dinheiro pela primeira vez.

“Eu também passei a ganhar o meu próprio dinheiro. Então eu tive que aprender a administrar esse dinheiro; precisei estudar um pouco sobre planejamento financeiro, dividir minhas tarefas, minhas obrigações.”

Segundo o especialista em gestão de pessoas Pedro Vitali, embora o valor da bolsa de estágio costume ser menor em comparação com o salário de um profissional efetivado, essa remuneração pode trazer um alívio para os custos de vida e despesas acadêmicas do estudante.

“E vale ressaltar também que o estágio não se configura como um meio de obter renda. Ele representa, antes de qualquer coisa, uma porta de entrada para o meio de trabalho. É uma oportunidade do estudante começar a construir a sua experiência profissional que, em médio e longo prazo, pode se traduzir em melhores perspectivas de um emprego melhor e, consequentemente, uma remuneração mais substancial.”

Habilidades

Segundo levantamento do IEL, o conhecimento em idiomas, pacote office e photoshop são as habilidades técnicas que mais chamam a atenção no currículo dos estudantes. Proatividade, boa comunicação e escrita e comprometimento são as habilidades comportamentais mais procuradas em um bom candidato.

“Um candidato que mostra interesse, iniciativa, que busca soluções ao invés de apenas ficar esperando ordem, isso mostra que a pessoa está engajada e está pronta para de fato contribuir nas atividades da empresa. Outra habilidade que é fundamental é buscar por uma comunicação eficaz. Então ter clareza ou expressar ideias e tentar evitar os mal-entendidos facilita demais a interação harmoniosa com a equipe. Uma comunicação, no meu ponto de vista, é primordial. O que já linca com trabalho em equipe que é uma competência também crucial”, destaca o especialista em gestão de pessoas Pedro Vitali.

Ele também elenca adaptabilidade, ética profissional, conhecimento técnico, capacidade de resolver problemas, gestão de tempo e vontade de aprender como habilidades fundamentais buscadas pelas empresas nos bons candidatos a vagas de estágio.

A gerente executiva de Negócios do IEL, Patrícia Fernandes, dá dicas para os estudantes se saírem bem na entrevista.

“Contem suas histórias, seus projetos, resultados alcançados, conhecimentos, ação social praticada, viagens. Comentem sobre algum livro que trouxe algum aprendizado”, recomenda.

IEL

Patrícia Fernandes explica como o IEL atua com os estudantes cadastrados e as instituições de ensino.

“O IEL mantém parceria com quase 100% das instituições de ensino. E para os estudantes cadastrados, buscamos uma oportunidade de estágio que atenda o seu perfil. Além disso, o IEL oferece uma trilha de capacitação que desenvolverá competências fundamentais para o mercado de trabalho, além de capacitar os supervisores de estágio. Além de todo o aprendizado, o estagiário receberá uma bolsa auxílio e alguns benefícios que o ajudará nesse período escolar. O IEL oferece suporte em todas as etapas do programa, desde a triagem, recrutamento e seleção, na parte de gestão dos contratos de estágio e na capacitação.”

Atualmente, o IEL está com 4.297 vagas de estágio abertas em 13 estados: Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Santa Catarina e Tocantins. Tem oportunidades nas áreas de Administração, Ciências Contábeis, Marketing, Publicidade e Propaganda, Jornalismo, Terapia Ocupacional, Pedagogia, Engenharias e Ensino Médio. As bolsas variam entre R$ 200 e R$ 2,5 mil, além de auxílio transporte e vale-refeição. Para saber mais, acesse portaldaindustria.com.br/iel. 

*Com informações da agência Brasil 61

revistatempo@tempo.com.br

Review overview